Telemedicina

História

A Telemedicina abrange toda a prática médica realizada à distância, independentemente do instrumento utilizado para essa relação. A prática tem origem em Israel e é bastante aplicada nos Estados Unidos, Canadá e países da Europa.

Desde seu início, na década de 1950, a Telemedicina mudou e avançou muito. Antes, poucos hospitais utilizavam aparelhos para chegar a pacientes em locais remotos. Mas com o avanço dos meios de comunicação, o contato entre médico e paciente ou entre os profissionais de saúde ficou mais simples e prático: a relação e a troca de informações foram ampliadas com o telefone fixo, depois com os celulares, e se tornou ainda mais rápida com a internet. Computadores, tablets e smartphones facilitam as videoconferências e, o avanço da Inteligência Artificial (IA) leva conhecimento ao alcance de todos.

Um dos pontos fortes do uso da Telemedicina é o fornecimento de laudos online à distância, sem a necessidade da clínica ou o hospital, contar com médicos especialistas em tempo integral atendendo em suas dependências. Pela tecnologia, o resultado é enviado via internet para equipes médicas, compostas por especialistas atuantes em grandes centros de medicina do Brasil. São profissionais habilitados a laudar remotamente, exames realizados em qualquer hora e lugar do país. É possível entregar laudos no mesmo dia, ou, em caso de urgência, minutos após a emissão do exame.

Muitos aparelhos utilizados para os procedimentos já são digitais e fornecem os resultados diretamente para os serviços de Telemedicina. Caso os aparelhos sejam analógicos, algumas empresas permitem uma integração rápida dos dispositivos com o sistema digital por meio dos protocolos de IoT (Internet das Coisas).

A Telemedicina, portanto, é uma maneira de agilizar e também qualificar o procedimento e a entrega dos laudos de diversos exames. Em pouco tempo, o exame é realizado e o laudo entregue ao paciente, possibilitando o diagnóstico e o início do tratamento mais rapidamente.